Ouvir música clássica torna seu bebê mais inteligente?

Antes de pontuarmos as relações entre inteligência e música clássica é necessário definirmos o que entendemos por inteligência. Na psicologia em geral, quando falamos em inteligência, nos referimos à capacidade dos indivíduos de resolver problemas da vida cotidiana. Portanto, a sentença: “ouvir música clássica aumenta a inteligência”, estaria se referindo às relações positivas que determinado gênero de música estabelecem com a capacidade de lidar com a vida comum.

A história por trás dessa alegação se deu a partir de um estudo norte-americano feito em 1993 onde esta relação foi sugerida. Tal estudo foi elaborado com 36 adolescentes norte-americanos que foram divididos em três grupos distintos. O primeiro foram os que ouviram a Sonata for Two Pianos in D major de 1781, elaborada por Mozart, o segundo grupo escutou outro gênero musical e o terceiro grupo nenhuma música. Após os jovens terem escutado as músicas, eles realizaram um teste que mensurava relações espaciais. O grupo que havia escutado Mozart obteve melhor desempenho. A partir desses resultados, o Efeito Mozart, como assim foi denominado, foi amplamente estudado por cientistas, ávidos por encontrar maneiras de aumentar a inteligência.

Entrementes, o Efeito Mozart obteve mais sucesso nas lojas de discos, com os famosos cd’s Mozart para bebês, do que nos artigos científicos mais rigorosos. Tal suposição comprovou-se um mito de atribuição ao acaso dos resultados dos jovens que participaram da pesquisa e nenhum efeito foi observado nas pesquisas subsequentes realizadas com bebês.

O Efeito Mozart também foi aplicado em outros contextos. O fazendeiro Hans Sieber colocou suas 700 vacas para escutarem Concerto para Flauta e Harpa. O resultado dele foi um aumento significativo na produção de leite. Entretanto, o mesmo explica o fenômeno como um efeito colateral de relaxamento por parte dos bovinos. Em outra pesquisa, cientistas da Universidade de Trinity encontraram que plantas que “escutavam” o Concerto in G de Mozart faziam fotossíntese mais rapidamente do que aquelas que ouviam Bach, Britney Spears ou Brahms.

Portanto, mamães, escutar Mozart com seu filho pode trazer inúmeros benefícios, como por exemplo deixá-los mais calmos, mas muito provavelmente não os fará mais inteligentes.

Lorrayne Soares

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *