Tudo o que você precisa saber sobre o desenvolvimento do cérebro do bebê

Você tem a impressão que seu filho tem mais intimidade com aparelhos digitais, como smartphones e tablets? Pois acredite, não é apenas uma impressão! Quer entender um pouco mais sobre o desenvolvimento do cérebro do bebê, que o permite a ter estas e outras habilidades? Continue lendo!  

Por dentro do desenvolvimento do cérebro do bebê

Esse maior conhecimento nato com aparelhos digitais e outros objetos e interações próprios da nossa era dos bebês estaria relacionado com algo chamado epigenética. Seu conceito, como podemos encontrar na wikipédia, é o seguinte: “A herança epigenética é a transmissão de experiências ocorridas com os pais para os filhos e que não ocorre através do DNA. De acordo com os conceitos tradicionais, quando um embrião é formado, seu epigenoma é completamente apagado, e reescrito a partir das informações que estão no seu DNA. A exceção é que, para alguns genes, marcas epigenéticas são mantidas, e passadas de uma geração para a geração seguinte. Ou seja, é a experiência dos pais que faz com que os filhos ganhem esta espécie de “vantagem” na relação com algum objeto ou situação. O bebê já nasce mais adaptado a uma realidade que, em tese, ele só passaria a conhecer depois que nascesse e se desenvolvesse. Todo esse desenvolvimento do cérebro do bebê começa ainda no útero da mãe, durante a gestação, e muitos dos processos só são concluídos quando o indivíduo chega à idade adulta. Um dos marcos de desenvolvimento é quando a criança completa três anos.  

Como estimular o cérebro do meu filho de forma saudável?

 Esse processo de adaptação acontece a gerações e continuará acontecendo, então não se preocupe em estar estimulando pouco o desenvolvimento do cérebro do bebê.  Esse processo de aprendizado e adaptação, como você deve imaginar, aumenta à medida que a criança cresce e se desenvolve. Seu filho possui uma predisposição natural para isto. Seu papel é garantir que seu bebê tenha um ambiente seguro, saudável e amoroso para que ele possa atingir seu potencial. Por exemplo, estudos feitos pelas Universidade Washington e Baylor College of Medicine, nos Estados Unidos, apontam que crianças criadas com afeto têm a áreas do cérebro mais desenvolvidas que as demais. Uma destas áreas que se desenvolve quando há mais carinho por parte dos pais é a da memória, e com a memória mais desenvolvida, as chances de uma melhor performance na escola são enormes.   Interessante como acontece o desenvolvimento do cérebro do bebê, não é mesmo? Ficou com alguma dúvida ou quer compartilhar com a gente alguma ação “avançada” que seu bebê fez? Comente!

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *